Bombas ITAP

As bombas da linha ITAP são indicadas para saneamento, abastecimento de água, irrigação, indústrias têxteis e bombeamento de líquidos em geral.

 

Vazão até: 3500Mª/h
Altura manométrica até: 200 m.c.a
Temperatura até: 120º C*

 

 

Técnicas de Construção

O sistema construtivo é de eixo horizontal com partição vertical, normalmente de um estágio, sendo também disponíveis modelos de dois ou três estágios.

A voluta da bomba é fixada no cavalete por prisioneiros e nos cavaletes maiores é dotada de pés de apoio.

O sistema de vedação nos eixos pode ser feito por selo mecânico ou gaxeta, e opcionalmente com refrigeração nas gaxetas.

O empuxo axial dos rotores (radiais e fechados) é quilibrado através de furos de alívio, exceto os modelos ITA 32.120/32.160/32.200/40.120 e 40.160 onde o empuxo axial é compensado por palhetas traseiras nos respectivos rotores.

NPSH: O valor no NPSH requerido pode ser calculados através da formula abaixo, sendo o Hs encontrados na respctiva curva característica.
NPSHr = 10 – Hs + V² + 0,5; onde NPSH = (m)
2g
Hs = altura de sucção (m)
V = velocidade na sucção (m/s)
g = aceleração da gravidade (m/s²)
Ao especificar a bomba, deverá ser observada a rotação da bomba e a velocidade periférica máxima do rotor, conforme o seu material de construção.
- ferro fundido GG 20 (DIN 1691) _________40 m/s
- ferro nodular GGG 40 (DIN 1693)_________60 m/s
- bronze – SAE 40______________________60 m/s
- aço inox – CF8M (ASTM A 743)__________80 m/s

As bombas podem ser acopladas a motores elétricos, redutores, turbinas, motores a diesel e a gasolina, ou acionados por polias e correias, desde que utilizando-se de mancais reforçados.

É necessário prever uma reserva de potência para o acionamento das bombas na faixa de 15% nas bombas até 25 HP e de 10% nas bombas acima de 25 HP.

Os flanges são de conformidade com a norma DIN, outras modificações mediante consulta prévia.